Imprensa

|

Notícias

06/06

O mercado caracteriza-se por um movimento em direção aos negócios globais, com exigências de qualidade internacional para o setor do vestuário, bem como por mudanças no perfil do consumidor nacional, que se torna também mais exigente.

A laranja é o novo verde. Por meio de duas empreendedoras italianas. Uma iniciativa muito bacana de moda sustentável, elas passaram a produzir seda vegana com bagaço de laranja.

COMPARTILHAR:

O laranja é o novo verde. Essa grande sacada partiu de duas empreendedoras italianas. Em suma, ou melhor, em sumo: por meio de uma iniciativa muito bacana de moda sustentável, elas passaram a produzir seda vegana usando bagaço de laranjas como matéria-prima.

A empresa de Adriana Santanocito e Enrica Arena, batizada de Orange Fiber, patenteou uma tecnologia de aproveitamento da celulose do bagaço das laranjas.

Assim, o insumo é proveniente da indústria italiana de suco. E haja bagaço. Por ano, 700 mil toneladas de frutas cítricas são colhidas no país.

Segundo as empresárias, o fio de seda vegana feito do bagaço da laranja é leve, suave ao toque e pode ser opaco ou iridescente, de acordo com a necessidade do uso.

Dessa forma, a seda vegana é utilizada para produzir os artigos têxteis de luxo da grife italiana Salvatore Ferragamo.

E já rendeu à Orange Fiber alguns prêmios. Como, em 2016, o de Mudança Global da Fundação H&M, organização que fomenta projetos de sustentabilidade.

Em 2017, a empresa foi selecionada para participar do programa de aceleração Fashion for Good – Plug and Play Accelerator, que acontece na Holanda.

Seu propósito é que as jovens companhias mais promissoras da indústria da moda sejam orientadas por marcas como Adidas, Kering, Target e Zalando.

 

Foto: Divulgação


Fonte: Catraca Livre/IBB